top of page
Buscar

Economia em alta e inflação em queda com a direita na Argentina pelo 4° mês consecutivo



A inflação na Argentina apresentou novamente uma queda em abril, segundo dados do Instituto Nacional de Estatísticas e Censos (INDEC). O índice de preços ao consumidor (IPC) em março estava em 11% e em abriu caiu para 8,8%. Essa queda representa o quarto mês consecutivo de retração da inflação, após ter atingido o pico de 25,5% em dezembro de 2023.

No entanto, a inflação anual na Argentina ainda se encontra em um patamar extremamente elevado, chegando a 289,4% em abril, herança dos governos de esquerda que devastou o país.


 Evidenciando desafios persistentes que o país enfrenta para conter o aumento dos preços.

Os setores que mais pressionaram a inflação em abril foram Moradia, Água e Energia (35,6%), Comunicação (14,2%), Vestuário e Calçados (9,6%) e Saúde (9,1%).


Em meio aos esforços para combater a alta da inflação, o Banco Central da Nação Argentina lançou na semana passada uma nova cédula de 10 mil pesos, equivalente a cerca de R$ 58 na cotação atual. Essa é a nota de maior valor em circulação no país e tem como objetivo facilitar as transações financeiras.

O Banco Central também anunciou a previsão de lançar uma cédula de 20 mil pesos até o final do ano.

Embora a desaceleração da inflação em abril e o crescimento econômico impressiona em tão pouco tempo, ainda há um longo caminho a ser percorrido para que a Argentina consiga controlar o índice de preços de forma sustentável. As medidas do Banco Central, como a emissão de novas notas, precisam ser acompanhadas por outras políticas macroeconômicas eficazes para conter a alta dos preços e garantir a estabilidade da economia.


Assista Nossa Senhora de Cimbres👇👀





Assine meu Instagram👇👀


Se inscreva no meu canal👇👀



Acompanhe👇👀




Nosso parceiro👇👀



Nosso parceiro👇👀





 

23 visualizações0 comentário

Kommentare


bottom of page